Archive for agosto, 2007

Santa Teresa, um dos bairros mais tradicionais da cidade

A história do bairro de Santa Teresa começa com a fé de duas irmãs. Jacintha e Francisca Rodrigues Ayres costumavam rezar na capela do Morro do Desterro, construída por Antonio Gomes do Desterro, um dos primeiros moradores do local. Devota de Santa Teresa de Ávila, Jacintha conseguiu apoio do governador da época, Gomes Freire Andrade, para construir um convento que levaria o nome da santa e nomearia o bairro, no século XVIII.

Segundo o site Portal de Santa Teresa , a ocupação do lugar foi primeiramente por quilombolas e, em seguida, por religiosos, impulsionados pela presença do Convento da Ordem das Carmelitas Descalças. A água também teve importância no processo. Por ser próximo do Aqueduto da Carioca, ou Arcos da Lapa, o suprimento de água fresca favoreceu a habitação. Logo após as primeiras expansões da cidade para fora do povoamento inicial, no Centro, o bairro foi ocupado pela classe alta da ocasião. Estrangeiros também se estabeleceram no local, atraídos pelas condições do clima.

Atualmente, o turismo é uma de suas principais atividades. Considerado, de acordo com o site da Riotur, o bairro ideal para intelectuais e artistas, Santa Teresa apresenta uma ampla oferta de passeios culturais. Museus, parques e locais de preservação estão entre os atrativos. Os bondes, que servem de transporte público, também ganharam status turísticos por serem os únicos ainda em funcionamento no Brasil e foram tombados como patrimônio histórico.

O bairro, que segundo o Portal de Santa Teresa recebeu investimentos para a chegada da Família Real, há 200 anos, conta com uma população de mais de 41 mil habitantes (sendo cerca de 20,5% moradores das seis favelas das redondezas) em uma área total de 5,70 quilômetros e tem índice de 93% de alfabetização, conforme dados do IBGE.

Anúncios